Coleção NuAP

No Bico da Cegonha

Numa viagem que nos leva das creches e tribunas do Brasil às casas dos pais adotivos da Europa, o autor apresenta questões contundentes sobre o processo de adoção. O que significa a criança brasileira para uma família adotiva na França? Como a imprensa brasileira, ávida por histórias sobre "comércio" de bebês e "tráfico" de órgãos, trata esse tipo de adoção? Que noções de legitimidade motivaram os legisladores a modificar as leis, regulando o fluxo de crianças? Qual é o argumento das "cegonhas", damas de caridade, advogados e outros intermediários que facilitam a transação? Qual o ponto de vista das mães biológicas que procuram, assim, "salvar" os seus filhos? Sem sensacionalismo, Abreu produz um texto fascinante, repleto de dados etnográficos que mostram a adoção como disputa entre parceiros desiguais num mercado de bens simbólicos. Quer seja vista como sacrifício da mãe biológica, quer como ajuda humanitária dos pais adotivos ou transação comercial em benefício de "cegonhas" gananciosas, a adoção, na análise perspicaz de Abreu, revela dimensões surpreendentes da família e da nacionalidade no conturbado mundo contemporâneo.

Cláudia Fonseca