Coleção NuAP

Filhos do Estado

Quem são os oficiais da Polícia Militar? Como eles são educados e treinados? Quais as práticas e representações sociais implicadas na sua formaçõa durante os três anos de "Academia"? Como os rituais de poder e as cerimônias de Estado produzem, ao mesmo tempo, uma pessoa como objeto para uma disciplina e como sujeito para uma declaração de identidade? Leonardo Damasceno de Sá constrói neste livro uma literatura do universo social de formação dos futuros oficiais da Polícia Militar do Ceará, buscando circunscrever etnograficamente os códigos de sentimento e conduta e os valores sociais dos policiais militares neles representados (a "boa conduta"), bem como os rituais de poder e as cerimônias de Estado por meio das quais os cadetes são instituídos como portadores de um certo destino social, declaradamente, fundido com o próprio Estado (os "guardiães da sociedade"). Exercendo o ponto de vista de uma antropologia da política, o autor propõe uma abertura para a discussão das categorias e práticas de poder de agentes sociais, cujas autodefinições apontam para uma concepção de política "sem vocação política" e cujas atividades estão orientadas e interessadas em agir "em seu nome, em nome de Deus e em nome do Estado", portanto "na vontade" do incremento do poder político-administrativo da estrutura governamental da qual fazem parte.